Risco de nova onda de Covid-19 muda a rotina em Óbidos e população precisa se adaptar às restrições - AMAZOON NOTÍCIA

JURUTI 139 ANOS

Risco de nova onda de Covid-19 muda a rotina em Óbidos e população precisa se adaptar às restrições

Risco de nova onda de Covid-19 muda a rotina em Óbidos e população precisa se adaptar às restrições

Share This
Imagem aérea noturna dos bairros Fátima, Cidade Nova e São Francisco em Óbidos
Foto: Mauro Pantoja / Drone

A apresentação da carteira de vacinação passou a ser obrigatória em quase todos os estabelecimentos.

Não foram só os casos de pacientes infectados e reinfectados pela Covid-19 que aumentaram no município de Óbidos, no oeste do Pará. As restrições para ir a órgãos públicos e privados é maior, assim também como ficaram mais rígidas as medidas de prevenção, atualizadas em três decretos municipais publicados na semana passada.

A carteira de vacinação deixou de ser um simples registro de imunização e passou a ser o passe livre para entrada em órgãos públicos e empresas, que "compraram a briga" para evitar um novo surto da doença no município.

Rosângela Trindade, é trabalhadora autônoma e diz que é favorável à obrigatoriedade da apresentação da carteira de vacinação. Mesmo com a crescente de casos em Óbidos, e precisando sair de casa para trabalhar, ela sabe o quanto é importante estar vacinada.

"Eu mesma já peguei Covid duas vezes. Passei mal e quase fiquei internada no 24h [hospital municipal da cidade]. Tomei as duas doses da vacina e tomo quantas forem necessárias. Não temos outra opção. Cidade vazia é sinal de que estão se cuidando", disse Rosângela.

Sair de casa ainda não é um problema em Óbidos, mas entrar em um supermercado ou ir à uma farmácia sem o comprovante de vacinação com as duas doses registradas é difícil para os obidenses que ainda estão se acostumando com as novas regras.

Na sede da prefeitura e secretarias municipais, a apresentação do controle vacinal também é obrigatório.

Poucos estabelecimentos como academias de ginástica e musculação, clínicas de fisioterapia e pilates, academias e danças, considerados serviços não essenciais pelo primeiro decreto publicado na sexta-feira passada, dia 19, podem ser frequentados, menos por quem não está vacinado.

Distanciamento social, uso de máscara, higienização das mãos e equipamentos são condicionantes para o funcionamento que passa por autorização prévia da Secretaria de Saúde do município.

"Acho que tem que usar mesmo essa regras. O povo já tinha esquecido de tudo o que nós passamos no fim do ano passado e nesse ano. É meio ruim, mas não me importo", disse o jovem estudante, Tiago Cerdeira.

No período da noite a equipe de fiscais da Vigilância Sanitária, Secretaria de Meio Ambiente, Defesa Civil, acompanhados de outros órgãos de fiscalização e segurança pública, percorrem os bairros da cidade para garantir que as novas restrições, como o fechamento de bares e a proibição de atendimentos presenciais em restaurantes e lanchonetes, sejam cumpridas.

Fiscalizações também têm sido realizadas em embarcações. Só pode seguir viagem quem apresentar a carteira de vacinação com as duas doses anti-covid. A nova exigência foi comunicada pelas empresas de navegação aos clientes. 
 
Fiscais da DIVISA acompanham embarque de passageiros para Santarém
Foto: Divulgação/ASCOM-PMO

Por enquanto as divisas do município permanecem livres, assim como o trânsito de passageiros que utilizam transportes intermunicipais.

O foco da prefeitura nesse momento é minimizar as possibilidades internas de contaminação massiva, o que resultou em outras medidas como: cancelamentos de festas, shows, apresentações com música ao vivo em espaços públicos e privados, eventos esportivos com festa dançante, além de eventos privados em locais fechados com público superior a 30 pessoas.

Em entrevista à uma rádio local, o prefeito Jaime Silva, disse "Ou vamos enfrentar esse momento com seriedade ou vamos correr o sério risco de enfrentarmos uma alta de casos de Covid-19 igual ou maior do que no início desse ano", alertou.

Segundo a secretaria de saúde, de segunda-feira (22) até quinta (25) foram registrados 41 novos casos de pacientes infectados. Desde a semana passada, os leitos exclusivos para tratar pacientes com Covid estão com a lotação máxima ou próximo a lotação máxima, já que as altas médicas fazem os números de internados variarem.

A expectativa é para o cancelamento ou não, por parte da prefeitura de Óbidos, da realização das festas de fim de ano; do início da quadra carnavalesca - que tradicionalmente começa no dia 1º de janeiro - e o Carnapauxis, que se confirmado, acontecerá no período de 23 de fevereiro a 1º de março de 2022.


Por:
Redação Amazoon Notícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário