Órgãos de segurança definem últimas estratégias da operação integrada para eleições na região. - AMAZOON NOTÍCIA
Órgãos de segurança definem últimas estratégias da operação integrada para eleições na região.

Órgãos de segurança definem últimas estratégias da operação integrada para eleições na região.

Share This
Coronel Heldson Tomaso coordenou a reunião sobre o esquema de segurança nas eleições — Foto: Geovane Brito/G1
Mais de 10 órgãos participarão da operação para coibir crimes, principalmente eleitorais.

Órgãos de segurança vão montar uma operação integrada para atuar durante as eleições, que ocorrerão no domingo (7). Para repassar as estratégias e ajustar os últimos detalhes do esquema de segurança, uma reunião ocorreu na manhã desta quarta-feira (3) no Comando de Policiamento Regional - 1 (CPR-1).

Santarém sediará o centro de gestão integrada que funcionará no Centro Regional de Governo, para facilitar o contato entre as equipes que estarão nas ruas fazendo fiscalizações e coibindo crimes, principalmente eleitorais que serão registrados pela Polícia Civil, na sede da Superintendência Regional.

Já os demais crimes com prisão em flagrante serão encaminhados à Polícia Federal. No CPC haverá equipes de peritos plantonistas para fazer exames de corpo de delito.

Ficou definido que a partir de 0h do dia 7 de outubro as equipes iniciarão a operação Lei Seca, em cumprimento à Portaria da Polícia Civil.

O CPR-1 vai disponibilizar mais 350 policiais para monitoramento e operação em 13 municípios do oeste do Pará. A Polícia Federal estará atuando em Santarém, Óbidos e Almeirim.

Participaram do encontro representantes do CPC, Marinha do Brasil, Niop, SMT, Procon Municipal, Detran, polícia civil, centro regional de governo, Fórum eleitoral, corpo de bombeiro, Semma, GTO, polícia federal, PRF.

Crimes eleitorais

O juiz da 104ª zona eleitoral, Alexandre Rizzi, repassou orientações sobre os crimes eleitorais, tirou dúvidas e esclareceu como deverão ser feitas as abordagens às pessoas.

"Está todo mundo sabendo o que tem que fazer. Foi um encontro extremamente produtivo. Acredito que vai dar tudo certo. Orientamos em relação a eventuais trotes e pedimos que a população de fato só acione os órgãos de segurança quando verificar uma situaçãode fato suspeita, para não tirar o foco do trabalho de combate à compra de votos e à propaganda eleitoral irregular", disse Alexandre Rizzi.

Cumprimentos de mandados e demais procedimentos só poderão ser feitos 48h após o término das eleições. Juízes e promotores farão a fiscalização nas três zonas, independente da jurisdição. Porém, somente o juiz da zona poderá proceder judicialmente.

G1/Santarém

Juiz Alexandre Rizzi repassou orientações aos órgãos de segurança para efetivo combate aos crimes eleitorais — Foto: Geovane Brito/G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário