Sindicato dos Médicos do Pará critica falta de transparência na divulgação de dados sobre a covid-19 - AMAZOON NOTÍCIA
Sindicato dos Médicos do Pará critica falta de transparência na divulgação de dados sobre a covid-19

Sindicato dos Médicos do Pará critica falta de transparência na divulgação de dados sobre a covid-19

Share This

Desde a última sexta-feira (5), o Ministério da Saúde deixou de informar o total de casos confirmados, o total de óbitos e o total de casos em investigação

O Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa) divulgou, nesta segunda-feira (08), uma nota de repúdio sobre a falta de transparência na divulgação de informações sobre os casos de covid-19 por parte do governo federal. "O Sindicato dos Médicos do Pará vem repudiar e condenar a medida do governo federal de tentar esconder o número de mortos e retirar, do site do Ministério da Saúde, as análises que lá estavam disponíveis. Em boa hora, o Tribunal de Contas da União, o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde e o Congresso Nacional já tomam atitudes para devolver à sociedade o acesso à informação, direito de todo cidadão em uma sociedade democrática", destacou a conclusão da nota.

Desde a última sexta-feira (5), o Ministério da Saúde (MS) mudou a forma de divulgação dos dados sobre covid-19, deixando de informar o total de casos confirmados, o total de óbitos e o total de casos em investigação. O portal com os dados saiu do ar na noite da sexta e só retornou na tarde do sábado (06), disponibilizando apenas os números registrados no dia. As restrições causaram fortes críticas entre diversos segmentos da sociedade. Segundo nota do MS, "ao acumular dados, além de não indicar que a maior parcela já não está com a doença, não retratam o momento do país".

A nota do Sindmepa começa fazendo um paralelo entre o conceito de ciência e de política, avaliando que são complementares. "A epidemiologia é ciência e técnica. Estuda a distribuição dos fenômenos de saúde/doença, e seus fatores condicionantes e determinantes nas populações humanas. Busca ser o mais objetiva possível. A política é a arte do possível. É subjetiva. Busca mediar conflitos e está sujeita a determinantes que fogem a compreensão e análises exatas. Política e técnica são compatíveis e complementares, mas a política não deve interferir na técnica".

Em um segundo momento, a nota comentou sobre o trabalho dos técnicos para fundamentar ações políticas. "Enfrentamos uma pandemia causada por uma nova doença, que é mortal para cerca de 5% dos acometidos. Nossos recursos de tratamento são escassos e limitados. Os técnicos precisam traçar estratégias para minimizar os danos às populações e às pessoas e para tal precisam de informações claras e objetivas. Somente dessa forma podem fornecer aos governantes recomendações técnicas, que orientem decisões políticas adequadas. Decisões equivocadas ou intempestivas podem redundar na perda de milhares de vidas".

O texto também citou que o acesso à informação é o caminho para a consicência sobre o isolamento. "Todos devemos participar deste esforço coletivo porquanto boa parte do sucesso das medidas propostas e tomadas dependem da atitude de cada um de nós. Em uma sociedade democrática a imposição de atitudes tem suas limitações inerentes ao direito individual. No caso presente, quanto mais informações as pessoas receberem, mais vão se convencer da importância das medidas de isolamento e proteção individual". 
 
ORM

Nenhum comentário:

Postar um comentário